Seguidores

sábado, 31 de janeiro de 2009

História do GOL

VW Gol - A história O projeto do VW Gol foi iniciado em maio de 1976 e tinha como principal caracteristica a carroceria de dois volumes com vincos marcados, traseira bem angular e motor dianteiro, uma concepção moderna, principalmente se comparado ao fusca. Ao contrario da geração alemã, o projeto nacional ganhou o motor na posição longitudinal, como o Passat (que originou o projeto), mas inicialmente recebeu o a robusta e conhecida mecânica Boxer 1300 (42cv) refrigerado a ar do Fusca.
Lançado em maio de 1980, o sucessor do Fusca, como fora aclamado acabou tirando de linha em 1982 o VW Brasília, seu primeiro sucessor. Embora o desenho fosse moderno e muito agradável dinamicamente, o carro era fraco e não correspondia às expectativas. Então, menos de 1 ano depois chegava a nova versão LS com motor 1600 de dupla carburação e 66cv (SAE) e torque de 12mkg a 3000rpm, acelerando de 0 a 100 em 16s - desempenho superior ao do boxer. Com a adoção da dupla carburação, o estepe foi colocado no porta-malas, mas voltou ao cofre do motor, quando um concessionário percebeu que era possível colocar o estepe na frente, apenas invertendo o lado da roda, assim o carburador direito ficava em baixo do bojo. A solução logo foi adotada pela Volkswagen.
Em 1984, o Gol receberia também o motor MD-270 usado no Voyage e Parati desde 1983 (antes desse ano eram equipados com o MD260 1.5 oriundo do Passat). Continuaria em linha até 1986 a versão denominada BX, com motor a ar e acabamento simples, a fim de baratear o modelo. Volkswagen Gol LS 1983 - Impressões ao dirigir O modelos das fotos é de 1983 e tem a melhor configuração do Gol deste ano, com motor 1600 de dupla carburação e excelente acabamento marcado com bancos em tecido aveludado (assim como no revestimento das portas), carpete felpudo, além de frisos e adornos cromados que estão por toda a parte, evidenciando um cuidado especial na sua construção. O torque do motor Boxer 1600 (65cv) é o grande destaque do carro, deixando ele ágil e acredite: apesar da fama de barulhento, um motor em perfeitas condições é muito silencioso e praticamente inaudível na velocidade de cruzeiro.
A maneabilidade do carro e a ampla visão são outros pontos fortes, o volante de raio grande, com o charmoso cachorrinho ao centro, deixa as manobras leves, e a suspensão transmite bastante conforto. Essas são as impressões desse exemplar de Verde Álamo de 1983, que pelo bom estado nos remete diretamente a sensação de dirigir um veículo na época. O carro conta com apenas 44 mil km rodados, mesmo que 23 separem hoje de quando ele saiu da fabrica. Além dos freios, suspensão e os 5 pneus Firestone F-211 originais, o carro conta também um Auto rádio Bosch LD243, além do manual do proprietário com as revisões em dia.
Lançado em maio de 1980, o sucessor do Fusca, como fora aclamado acabou tirando de linha em 1982 o VW Brasília, seu primeiro sucessor. Embora o desenho fosse moderno e muito agradável dinamicamente, o carro era fraco e não correspondia às expectativas. Então, menos de 1 ano depois chegava a nova versão LS com motor 1600 de dupla carburação e 66cv (SAE) e torque de 12mkg a 3000rpm, acelerando de 0 a 100 em 16s - desempenho superior ao do boxer. Com a adoção da dupla carburação, o estepe foi colocado no porta-malas, mas voltou ao cofre do motor, quando um concessionário percebeu que era possível colocar o estepe na frente, apenas invertendo o lado da roda, assim o carburador direito ficava em baixo do bojo. A solução logo foi adotada pela Volkswagen. Em 1984, o Gol receberia também o motor MD-270 usado no Voyage e Parati desde 1983 (antes desse ano eram equipados com o MD260 1.5 oriundo do Passat). Continuaria em linha até 1986 a versão denominada BX, com motor a ar e acabamento simples, a fim de baratear o modelo. Volkswagen Gol LS 1983 - Impressões ao dirigir O modelos das fotos é de 1983 e tem a melhor configuração do Gol deste ano, com motor 1600 de dupla carburação e excelente acabamento marcado com bancos em tecido aveludado (assim como no revestimento das portas), carpete felpudo, além de frisos e adornos cromados que estão por toda a parte, evidenciando um cuidado especial na sua construção. O torque do motor Boxer 1600 (65cv) é o grande destaque do carro, deixando ele ágil e acredite: apesar da fama de barulhento, um motor em perfeitas condições é muito silencioso e praticamente inaudível na velocidade de cruzeiro. A maneabilidade do carro e a ampla visão são outros pontos fortes, o volante de raio grande, com o charmoso cachorrinho ao centro, deixa as manobras leves, e a suspensão transmite bastante conforto. Essas são as impressões desse exemplar de Verde Álamo de 1983, que pelo bom estado nos remete diretamente a sensação de dirigir um veículo na época. O carro conta com apenas 44 mil km rodados, mesmo que 23 separem hoje de quando ele saiu da fabrica. Além dos freios, suspensão e os 5 pneus Firestone F-211 originais, o carro conta também um Auto rádio Bosch LD243, além do manual do proprietário com as revisões em dia. Agradecimento: Camilo Fontana

7 comentários:

Anônimo disse...

Carro bonitão

gleisinho disse...

Eu tenho um enorme prazer em ter um. Adoro! Jesus e rei!

Anônimo disse...

tenho um bx 1986 a alcool e realmente é um carro ótimo!

Fábio Girão disse...

Prezado Não é cachorrinho, é um lobo de Wolfsburg.

Fábio Girão disse...

Também o motor do passat 1.5 nunca foi MD-260. O motor 1.5 e 1.6 (TS e lSE) eram conhecidos como BR e BS até 1982. Para a linha 83, saiu de linha o motor 1.5 e foi lançado o MD-270 (1.6) conhecido como motor torque que teve várias modificações (cabeçote, partes internas do bloco, e muito mais).Depois em meados de 85 surgiu o mais conhecido AP-600, que muitos, erradamente, chamam o motor dos passat mais antigos (década de 70 até 1982)

Fábio Girão disse...

Prezado, também fazendo outra correção em 1984 somente a nova versão GT com o motor 1800 do Santana, tinha a refrigeração líquida, permanecendo as demais versões (lS,S, etc), com o motor refrigerado a ar. Somente em 1985 foi estendido o motor à água para o resto da linha gol, excluindo, é claro a versão básica BX que permanecida com o motor a ar conforme falado ficando em linha até 1986. Solicito correção do texto, pois isso pode gerar informações erradas.

Anônimo disse...

tenho um a 17 anos ele vem quebrando preconceitos e causando adimiraçao o motor boxer foi usado pela vw por 50 anos e merece respeito nao so no brasil como no mundo