Seguidores

sábado, 31 de janeiro de 2009

História do GOL (Cont.)

O GOL GT
O Gol GT, o primeiro a contar com uma unidade de quatro cilindros refrigerada a água, de 1,8 litro e 99 cv (somente a álcool) foi lançado em 1984, primeiramente com câmbio de quatro marchas e somente a partir do ano seguinte com cinco marchas. No ano seguinte as versões S e LS passam a ter motor AP 1.6 refrigerado a água, também de quatro cilindros em linha, de série. Com isso passam a ter a frente do Voyage, com piscas integrados e faróis de maiores dimensões. A versão "a ar" permaneceria em linha até 1986, denominada BX em homenagem nome original do projeto. Nesse mesmo ano surge uma nova série especial do Gol, a Plus, calotas do Santana CL, forração cinza, pára-choques pintados na cor do veículo (prata ou bege metálico) etc. Em 1987 o Gol passa pela primeira plástica, com a adoção de uma nova frente e traseira, mas mantendo-se o painel antigo, que por sua vez era originário da Variant II. Em 1988 o modelo passa a ter um novo painel, além dos espelhos iguais aos do Santana a montados junto aos quebra-ventos, numa posição bem melhor.Em fins de 1988, como modelo 89, surge o primeiro carro nacional a contar com injeção de combustível, o Gol GTi. Em 1990 as versões CL e GL passam a ter motor CHT, de origem Ford, em função da Autolatina, a união da Ford com a VW que se deu em 1987 e que duraria até 1996. Esses carros têm bom torque em baixos regimes de giro, além de serem muito econômicos, mas tecnicamente inferiores aos Gol com motor AP.
Primeiras Estilizadas
Em 1991 o Gol passa pela segunda plástica e mais uma vez recebe nova frente, bem mais moderna, além de uma nova tampa do porta-malas. Já em 1993 a VW voltaria a equipar o Gol com esta unidade, retornando às origens. Mas é bom saber que existem as duas versões de motorização nesse ano-modelo de 1993, portanto olho vivo na hora da compra!Já em fins de 1994 o Gol ganha uma nova carroceria, cujo projeto desta vez era denominado AB9. Essa versão seria conhecida com "bolinha", mas isso é uma outra história.
2º Geração
A Geração II do Volkswagen Gol nasceu em 1994, como modelo 1995, embora o modelo antigo fosse produzido até 1996 apenas com o motor de 1 litro (ainda com carburador em vez de injeção eletrônica). O novo Gol trazia linhas bem mais arredondadas do que o anterior, que guardava muitas semelhanças com outro modelo da VW alemã, o Scirocco. Mas embora a VW do Brasil tenha realizado um projeto inteiramente novo em termos de carroceria, a plataforma basicamente era a mesma da versão anterior, trazendo ainda soluções idênticas de suspensão, freios e motorização.O Gol era disponível nas versões 1000i, 1000i Plus, CL, GL, Furgão e GTi (esta produzida até 1997 com motor 8V), com os motores de 1 litro, 1,6, 1,8 e 2-litros, em carroceria de apenas 2 portas – até mesmo na Parati. A Saveiro ainda continuaria com a carroceria antiga até 1996, pois em 1997 sairia a nova versão da picape. Em 1995 a VW lança a série especial Rolling Stones, a primeira da Geração II, identificada por adesivos na traseira e colunas "C". Em 1996 é a vez da série especial Atlanta, em homenagem às Olimpíadas daquele ano, realizadas na cidade americana; do Gol GTi 2.0 16V, que trazia um estranho e peculiar calombo no capô, uma necessidade devido à altura do cabeçote do motor, que simplesmente não cabia ali. Também foi lançado naquele ano o Gol TSi, uma tentativa da VW de restaurar a "aura" do extinto GTS, mas sem sucesso, pois o modelo era equipado com o mesmo motor 1,8-litro do restante da linha. No ano de 1997 o Gol passa a contar com injeção eletrônica multiponto para todos os motores, pois até então apenas o GTi apresentava esse recurso. Com isso as versões mudaram de nome: o CLi, por exemplo, passou a ser chamado de CL 1.6 MI, em alusão à nova injeção. E é criada a versão TSi com motor de 2 litros, que duraria apenas até 1999. Com muito atraso em virtude de problemas de desenvolvimento, em 1998 chegam as carrocerias 4 portas para Gol e Parati - que também ganham versões GLS 2.0 de curta duração no mercado, saindo de linha já em 1999. Nesse mesmo ano é lançada a versão Special, mantida até há pouco, e o motor 1,0-litro 16V aspirado. Ainda em 1998 a VWB passa a importar algumas unidades do Gol da Argentina, caso da série especial Star. É o ano também em que saem de linha os Gol furgão 1,6 e 1,0, este por sinal produzido apenas em 1998.Em 1999 a linha não traz grandes mudanças, pois já no ano seguinte a VW lançaria a Geração III, por sua vez também recentemente aposentada.
3º Geração
A chamada Geração III do Gol nasceu em 1999, como modelo 2000, com mudanças estéticas relativamente profundas, tanto na dianteira como na traseira. A VW mudou toda a parte dianteira (pára-lamas, capô, grade, pára-choque, faróis, lanternas e painel dianteiro), além de realizar também mudanças na tampa do porta-malas do Gol, lanternas e pára-choque traseiro. Naturalmente rodas e calotas foram redesenhadas para essa nova "geração". Mas na verdade a estrutura básica do carro era a mesma do Gol Geração II. Ou seja, a carroceria era a mesma, como pode ser percebido pelos vidros, portas, teto e dimensões do carro.Na parte interna talvez estivessem reservadas as maiores surpresas, com a adoção de um novo painel de instrumentos, mais moderno do que o anterior, além de novos bancos, forrações, console e acabamentos. Pena que a qualidade dos materiais empregados fosse ainda mais pobre que na Geração II. Havia versões de duas e quatro portas, sendo que o Gol Geração II permaneceu em linha até este ano de 2005, sobrevivendo na versão Special. Não havia mais as versões tradicionais CL, GL, etc. Numa manobra ousada, a VW resolveu lançar "pacotes" de opcionais (básico, Luxo, Conforto e Estilo) que estavam disponíveis para qualquer motorização, o que gerou um verdadeiro inferno no mercado de carros usados. É que poderia haver um Gol 1.0 8V mais equipado – ou mais luxuoso – que um Gol 1.8. O que os diferenciava eram detalhes internos, forrações, faróis com refletores simples ou duplos, rodas de aro 15, entre outros equipamentos. Portanto na hora de comprar um usado, é necessário atentar para esse fato. O problema é que esse "pacote" não é identificado no documento.
4º Geração
5º Geração
O

7 comentários:

MC disse...

pra mim eu acho que os desings do gol foram muito radicais. sim o carro ficou legal mais nada melhor deque um gti ou um gol 93 bonitão andando por ai!!!

Fabio disse...

Legal a matéria, Gol é um clássico. Também fica o toque, a VCars agora esta dentro do site Street Customs (www.streetcustoms.com.br). Já foram postados vários artigos e fotos sobre os clássicos da Volkswagen... Abs!

erre disse...

bom dia! gostaria de saber se tem a vista explodida do motor boxer do gol 83 caso tenha envie para evidalest@ig.com.br sou muito grato

lcan disse...

Foi muito bom ler essa matéria.Gosto muito do meu bolinha.Parabéns.

Anônimo disse...

muito legal essa materia sobre o gol meus parabens, gosto muito da geraçao ls de 86 tenho um e o meu irmao um 86 gt somos apaixonados por vw

Anônimo disse...

Bela materia, parabens....

Fábio Girão disse...

Inicialmente todas as versões do gol, exceto a BX ( 1.6 Motor a ar) e a GT (1.8) receberam o MD-270 (1.6) e não o motor AP como foi escrito.