Seguidores

domingo, 7 de março de 2010

Na falta de Petróleo (Gasogênio)

Uma solução Europeia que também foi bastante usada no Brasil para amenizar a falta de Petróleo
Decadas atraz mundo achava-se dividido e em choque sob uma guerra de alcance global. Petróleo era a fonte de energia que impulsionava as então modernas máquinas de combate na terra, no mar e no ar. Logo, as reservas deste precioso mineral eram alvo estratégico para ambos os lados, restando muito pouco para o resto do mundo.Nesta época, o Brasil se achava sob uma situação difícil. Afastado das principais fontes, o país contava com poucos petroleiros que se arriscavam a atravessar a barreira dos furtivos submarinos alemães.Era tempo de combustível escasso e racionado para a população, que apesar de tudo, precisava manter tudo funcionando. Tudo era improvisado. As lamparinas de óleo usavam óleos vegetais, como o de mamona, velas eram feitas com cera de abelha no lugar da parafina artificial, e assim por diante.Os carros e caminhões logo se adaptaram a esta realidade com uma solução vinda da Europa do período entre guerras, o gasogênio.A primeira onda veio sob a forma de kits importados, mas logo fabricantes nacionais passaram a copiar e a oferecer seus produtos por aqui.
Em princípio, os sistemas de gasogênio foram projetados (isso quando não eram arremedos de improvisação) para usar carvão vegetal ou lenha seca picada. No entanto, logo a população passou a usar quase todo material orgânico seco disponível, de capim a dejetos animais. Valia tudo para manter os veículos andando, e o melhor, sem gastar um tostão numa época de vacas magras para todos.O princípio de funcionamento do gasogênio é bastante simples.Ao contrário do que muitos de nós pensamos, nenhum material orgânico sólido ou líquido pega fogo. Neles ocorre um processo chamado “pirólise”.A pirólise é o processo de degradação de materiais orgânicos sólidos sob a ação de forte calor, onde parte do material se transforma em gases orgânicos elementares e combustíveis como o metano. São estes gases que queimam junto aos sólidos e líquidos, liberando calor para que mais material orgânico sofra degradação, num processo cíclico.Muitos materiais orgânicos ao sofrerem pirólise fornecem tal quantidade de gases inflamáveis que a quantidade de energia calorífica liberada é muito superior à necessária para a manutenção da pirólise, energia esta que pode ser aproveitada. O aproveitamento dessa energia pode ser feito de duas formas. Ou se aproveita o calor oferecido pela queima total do material, como na fornalha de uma locomotiva a vapor, ou queima-se o material orgânico na presença de pouco oxigênio, de forma que apenas parte do material orgânico sofra pirólise, e o excedente dos gases inflamáveis possa ser usado como combustível para alguma máquina de combustão interna. Este segundo princípio é o usado pelo gasogênio.Haviam diferentes sistemas de gasogênio, mas nestes, dois componentes são fundamentais: o tanque de material orgânico e o misturador.

Um comentário:

Anônimo disse...

isso é cultura